Atuação da fisioterapia na artroplastia de quadril

As funções do quadril são de extrema importância para a independência de um indivíduo, pois sustenta o peso corporal e gera grande amplitude de movimento para a locomoção e realização de atividades.

O quadril é uma articulação diartrose do tipo esferoidal multiaxial e possui estabilidade máxima pelo encaixe da cabeça do fêmur com o acetábulo. Além disso, absorve grandes cargas e impacto no decorrer da vida.

Com o envelhecimento, o quadril pode sofrer diversas afecções e comprometer funcionalmente essa articulação. Uma delas é a osteoartrose (OA), a qual se caracteriza-se como uma doença de etiologia multifatorial, sendo uma injúria dolorosa das articulações proveniente da deficiência da cartilagem associada à sobrecarga mecânica, alterações bioquímicas da membrana sinovial ou de fatores genéticos.

A OA de quadril atinge 20% das pessoas com idade acima de 55 anos e, apesar de ser menos comum do que a OA de joelho, sua sintomatologia é frequentemente mais grave, pois leva a consequências que excedem a degeneração da cartilagem, estando diretamente relacionada com dor, rigidez articular e disfunção muscular.

O tratamento da osteoartrose tem como objetivo principal combater a sintomatologia, aliviar a dor, restabelecer a melhora funcional, mecânica e clínica dos pacientes acometidos, optando-se inicialmente pelo tratamento conservador através de medicamentos e fisioterapia. Em casos de falha no tratamento conservador é indicado tratamento cirúrgico através da artroplastia.

A artroplastia de quadril consiste na reconstrução da articulação do quadril através da colocação de uma prótese total ou parcial devido à degeneração ou desgaste dessa articulação. É um método cirúrgico que visa restaurar a funcionalidade da articulação acometida, visando a melhora da dor e o retorno às funções.

As próteses podem ser feitas de diversos materiais como metal, cerâmica, titânio e polietileno, podendo a artroplastia ser total, quando ocorre a substituição do componente acetabular e femoral ou parcial, quando apenas o componente femoral é substituído.

Tipos de Prótese:

  • Cimentada – em que se usa cimento ósseo para fixar o componente acetabular na pelve e o componente femoral no fêmur.
  • Não-cimentada – a fixação de seus dois componentes (acetabular e femoral) ocorre diretamente nas superfícies ósseas.
  • Híbrida – o componente acetabular é fixado na pelve através de parafusos e o componente femoral é fixado com cimento ao fêmur.
  • Endopróteses – consiste na substituição de grandes segmentos ósseos.

 

As cirurgias na articulação do quadril estão entre as principais executadas na ortopedia e muitas formas de acessos foram descritas para a realização da artroplastia de quadril, sendo os mais comuns: acesso ântero-lateral, acesso lateral e acesso póstero-lateral.

O tipo de prótese, material, bem como a via de acesso escolhida são avaliados pelo cirurgião de quadril, que vai optar levando em consideração as particularidades de cada paciente.

A fisioterapia é um procedimento fundamental na reabilitação de pacientes pós artroplastia de quadril e deve ser iniciada precocemente após a cirurgia. A atuação inicial, na fase hospitalar, consiste em retirar o paciente do leito o mais breve possível, orientar quanto aos cuidados no pós-operatório, restabelecer amplitude de movimentos e força muscular, reduzir co-morbidades, prevenir complicações motoras e respiratórias, recuperar o equilíbrio e a marcha, facilitar a retomada de confiança e segurança do paciente e reduzir o tempo de internação.

As atividades incluem exercícios respiratórios; promoção de integração sensório-motora e cognitiva; mobilização dos membros inferiores (MMII); isometrias de quadríceps e glúteos; profilaxia circulatória; posicionamento dos MMII em abdução e treino de marcha com andador.

O fisioterapeuta deve enfatizar ao paciente os cuidados com movimentos que podem facilitar o mecanismo de luxação de prótese e portanto devem ser evitados, como a rotação interna do quadril, adução além da linha média,  e flexão do quadril acima de 90º.

Algumas complicações podem ocorrer após a cirurgia de artroplastia de quadril. Elas podem ser de origem ósteo-articular (fratura do fêmur, luxação da prótese), neurológica (neuropraxia, axoniotmese, neurotmese), circulatória (tromboembolismo venoso) ou secundárias a infecções.

Realizar um bom tratamento fisioterapêutico no pós-operatório é fundamental para a recuperação total do indivíduo, proporcionando sua independência, retorno às atividades e melhora da qualidade de vida.

 

Por Maria Eduarda N A Cocchieri

Fisioterapeuta pela Universidade de Vila Velha – ES
Especialista em Fisioterapia Hospitalar pela Faculdade Inspirar – PR
Fisioterapeuta Coordenadora do Serviço de Fisioterapia Prófisio – Unidade de Internamento do Hospital Marcelino Champagnat
Prática clínica em pós-operatório das artroplastias de quadril e de joelho
Docente Faculdade Inspirar

Referências

  • APRILE, I., et al. Group rehabilitation versus individual rehabilitation following knee and hip replacement: a pilot study with randomized, single-blind, cross-over design. European Journal of Physical and Rehabilitation Medicine. v.47, n.4, p.551-559, 2011.
  • COIMBRA, I.B. et al. Osteoartrite (Artrose): Tratamento. Revista Brasileira de Reumatologia. v. 44, n.6, p. 450-453, 2004.
  • DUARTE, V. et al. Exercícios físicos e osteoartrose: uma revisão sistemática. Fisioterapia em Movimento. v. 26, n. 1, p.193-202, 2013.
  • FIORENTIN, P. et al. Evidências científicas do tratamento fisioterapêutico no pós-operatório de artroplastia de quadril. Biomotriz, v.10, n. 01, p. 104 – 118, Jul./2016.
  • RISSI e COIMBRA. Exercício Físico como Tratamento na Osteoartrite de Quadril: uma Revisão de Ensaios Clínicos Aleatórios Controlados. Rev Bras Reumatol, v. 46, n.4, p. 273-280, jul/ago, 2006
2 respostas
  1. Maria Aparecida Nossa
    Maria Aparecida Nossa says:

    Excelente explanação sobre o assunto, com orientações fundamentais para aqueles que necessitam. Parabéns, Dra Maria Eduarda N A Cocchieri

    Responder

Deixe uma resposta

Gostaria de comentar algo?
Fique à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.