Poltrona PVC

Durante muito tempo o repouso absoluto no leito foi preconizado como imprescindível no tratamento de pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). No entanto, nas últimas décadas, constatou-se que a imobilidade no leito é um fator que leva ao retardo da recuperação desses pacientes.

Quanto mais tempo imóvel no leito, maiores as complicações que o paciente pode apresentar, tais como: perda da força muscular e consequentemente perda da sua funcionalidade, déficit da mecânica respiratória, complicações hemodinâmicas, cardíacas e neurológicas, úlceras de pressão, atraso na recuperação das doenças críticas, aumento do tempo de internação e redução da qualidade de vida do paciente pós alta.

A fisioterapia atua promovendo a recuperação e preservação da funcionalidade, exercendo papel fundamental tanto na prevenção quanto no tratamento destas complicações.

A mobilização precoce (MP) surge como intervenção fisioterapêutica de prática cada vez mais comum nas UTIs, a qual se refere a execução do exercício físico ou a mobilização do paciente dentro da fase inicial da doença, tendo seu início logo após a estabilização do paciente sempre respeitando as individualidades e as condições clínicas de cada indivíduo

A transferência do paciente para a cadeira é adotada como rotina por muitas equipes de saúde. Mesmo que feita de maneira passiva e com o paciente ainda em ventilação mecânica, a posição sentada pode trazer uma série de benefícios, como: uma maior estimulação sensório-motora, melhora da consciência corporal, melhora do estímulo respiratório e da mecânica ventilatória, aumento dos volumes e capacidades pulmonares, da ventilação alveolar e da eficiência da tosse, desde que o paciente não apresente contraindicações.

Quando não existem poltronas suficientes disponíveis ou até mesmo diante da impossibilidade de transferência do paciente para poltrona,  devemos encontrar soluções para que os benefícios da posição sentada sejam alcançados.

 

Com muita criatividade e dedicação nosso fisioterapeuta Dr. Cairo Sackl Poffo aprimorou a ideia de uma “poltrona” feita em PVC que se adapta a cama do paciente, muito prático e de baixo custo esse artefato permite que pacientes com pouco ou nenhum controle de tronco permaneçam sentados na beira do leito e até mesmo realizem exercícios com maior segurança na posição sentada.

 

Por Cairo Sackl Poffo
Fisioterapeuta pela Universidade Regional de Blumenau – FURB – SC
Pós-graduando em Fisioterapia em Unidade de Terapia Intensiva pela Faculdade Inspirar – SC
Fisioterapeuta Coordenador do Serviço de Fisioterapia Prófisio Litoral – Hospital do Coração de Balneário Camboriú

REFERÊNCIAS:

BAILEY, P. P.; ILL, R. R. M.; CLEMMER, T. P. Culture of early mobility in mechanically ventilated patients. Critical Care Medicine, v. 37, n. 10, p. 429-435, 2009.

CHOI, J.; TASOTA, F. J.; HOFFMAN, L. A. Mobility Interventions to Improve Outcomes in Patients. Biological Research For Nursin, v. I, n. 10, p. 21-33, 2008.

COSTA, F. M. D. et al. Avaliação da Funcionalidade Motora em Pacientes com Tempo Prolongado de Internação. UNOPAR Científica Ciências Biológicas e da Saúde, Cuiabá, 2014. 87-91.

DESAI, S. V.; LAW, T. J.; NEEDHAM, D. M. N. Long-term complications of critical care. Critical Medicine Care, v. 39, n. 2, p. 371-379, 2011

FRANÇA, E. É. T. et al. Fisioterapia em pacientes críticos adultos: recomendações do Departamento de Fisioterapia da Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, São Paulo, v. 24, p. 6-22, 2012.

HICKMANN, C. E. et al. Teamwork enables high level of early mobilization in critically ill patients. Annals of Intensive Care, v. VI, n. 80, 2016. KRAMER, C. L. Intensive Care Unit: Acquired Weakness. Neurologia Clínica , n. 35, p. 723- 736, 2017.

MUSSALEM, M. A. M. et al. Influência da mobilização precoce na força muscular periférica em pacientes na Unidade Coronariana. ASSOBRAFIR Ciência, Pernanbuco, 5 Abril 2014. 77- 88.

PRESTO, B. L. V.; DAMÁZIO, L. Fisioterapia Respiratória. 4a. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

SILVA, A. P. P. D.; MAYNARD, K.; CRUZ, M. R. D. Efeitos da fisioterapia motora em pacientes críticos: revisão de literatura. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, Rio de Janeiro -RJ, n. 22, p. 85-91, 2010.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de comentar algo?
Fique à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.